Alunos visitam o Centro de Memória durante Semana Cultural

Com a intenção de promover momentos de integração entre professores e alunos por meio de atividades esportivas e culturais, integradas aos interesses pedagógicos, foi realizada, de 9 a 11 de outubro de 2017, no Colégio Cruzeiro – Centro, a Semana Cultural.

O evento contou com exposições de trabalhos, oficinas, lanches coletivos e apresentações teatrais e envolveu todos os segmentos do Colégio. No Centro de Memória, os alunos no 5° ano do Ensino Fundamental puderam fazer um tour virtual por diferentes espaços culturais do mundo.

Na oficina ‘Uma Viagem pelos mais Incríveis Museus e Teatros do Mundo’ foi possível estabelecer laços entre Memória e História e a importância de sua preservação, além de proporcionar aos alunos uma ‘viagem’ por países e cidades diferentes.

Durante a Semana Cultural, toda a comunidade escolar pôde, ainda, aprender com as descobertas dos estudantes, que expuseram trabalhos elaborados ao longo do ano e pesquisas nas mais diversas disciplinas. Confira mais detalhes e fotos na matéria publicada no site do Colégio Cruzeiro.

Anúncios

Tobias Volkmann, regente da 1ª camerata do Colégio Cruzeiro

Recital de Violinos e Camerata 33 - 2005
2005 – Recital de Violinos e Camerata no Colégio Cruzeiro – Centro

Desde 2004, alunos do Colégio Cruzeiro – Centro que se destacam nos instrumentos ensinados nas Atividades Extraclasse participam de um grupo que começou como camerata e cresceu a ponto de, em 2016, tornar-se uma orquestra composta por violões, violinos e percussão.

O professor responsável pela criação do grupo, Tobias Volkman, é hoje maestro titular da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, uma das principais do país. Na época, ele propôs a criação da camerata, pois a prática em grupo seria importante não só para os jovens, que estavam estudando diferentes instrumentos na escola, como também para ele, que teria a oportunidade de colocar em práticas seus estudos de regência.

Conversamos com Tobias após o ensaio da cantata Carmina Burana, espetáculo apresentado em junho no Theatro Municipal, e eles nos contou um pouco sobre sua trajetória, a importância do ensino da música na escola e o que é preciso para ser um regente.

 

 

Centro de Memória recebe visita do ex-aluno Ernest

IMG_9345No dia 24 de abril, Ernest A. Raeder, que cursou o científico no Colégio Cruzeiro – Centro entre 1961 e 1963, aproveitou viagem ao Brasil para visitar o Centro de Memória. Ele e seu irmão mais novo, Hans J. Raeder, que atualmente moram, respectivamente, nos Estados Unidos e na Alemanha, estudaram no Cruzeiro na década em que a escola celebrava seu centenário.

Após se formar, Ernest passou um ano estudando em Roma e depois foi para a Universidade de Tübingen, atual destino dos alunos da unidade Centro da Viagem de Estudos à Alemanha, onde cursou medicina. Seu irmão, por sua vez, pouco depois de concluído o colégio, foi morar na Alemanha e vive até hoje.

Ele mencionou fatos marcantes de seu período na escola como a dificuldade de entender a maioria dos professores, pois quase todos eram de origem alemã; e a tradição de cantar o Hino Nacional todas as segundas no pátio do Colégio, quando um aluno era escolhido para hastear a bandeira. Ele também lembrou com carinho da rigidez de Dona Julia Nugele, então Vice-Diretora.

“O colégio teve forte influência para o que sou hoje. Foi um período, com meus 17 anos, em que vivi boas experiências”, relatou ele, que se reconheceu em fotos e identificou até mesmo os pais na plateia na solenidade de comemoração dos 100 anos do Colégio, em 1962.

Marque a sua visita ao Centro de Memória!

Horário de funcionamento: Segunda a quinta-feira, de 7h às 17h, e sexta-feira, de 7h às 16h.

Telefone: (21) 3221-5000 (ramal: 2237)

E-mail: centrodememoria@colegiocruzeiro.com.br

Centro de Memória recebe visita de ex-alunos

Hilke Schuldt, que estudou no Colégio Cruzeiro de 1950 a 1957, e Pedro Nicolau Novak, aluno de 1955 a 1964, visitaram, no dia 10 e março, o Centro de Memória da Instituição.

IMG_7482

Durante a visita, os ex-alunos viram as fotos do álbum da década de 1950 e relembraram histórias e colegas da época de estudantes. Eles também identificaram, nas imagens, antigos professores como Frau Becker, de Língua Inglesa e Alemã; Professor Moura, de Matemática; e Hugo Taddei, de Educação Física.

Pedro, um de quatro irmãos que estudaram no Colégio no período do Diretor Borges, ainda guarda edições da revista “Notícias”, que pretende doar para o Centro de Memória em uma próxima visita. Ele contou que todo o pátio do Colégio era coberto de saibro e que pelo corredor de entrada da Rua Carlos de Carvalho podiam entrar carros.

Hilke, que tem irmão e parentes que estudavam no Colégio, lembrou como a escola, mesmo quando foi obrigada, após a 2ª Guerra Mundial, a tornar a Língua Alemã apenas optativa, manteve uma cultura de línguas, ensinando Francês, Latim e Inglês, disciplinas que faziam parte do currículo regular da escola. Sobre a professora de Francês, cujo nome ela não recorda, contou:

“Ela era excelente. Muito severa e elegante. Passava muitos trabalhos. Tínhamos que estudar bastante, mas aprendemos muito com ela”, relembrou Hilke, que retornou à Alemanha após o 4º Ginasial.

IMG_7485

Marque a sua visita ao Centro de Memória!

Horário de funcionamento: Segunda a quinta-feira, de 7h às 17h, e sexta-feira, de 7h às 16h.

Telefone: (21) 3221-5000 (ramal: 2237)

E-mail: centrodememoria@colegiocruzeiro.com.br

4º ano visita Centro de Memória

Os alunos do 4º ano do Ensino Fundamental visitaram, durante as primeiras semanas de março, o Centro de Memória do Colégio Cruzeiro para aprender mais sobre fontes históricas, documentos que o historiador utiliza para analisar e resgatar fatos passados.

A visita, organizada por Fernanda Roma, historiadora responsável pelo setor, em parceria com a Coordenadora do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental, Lisiane Picanço, teve como objetivo dialogar com o conteúdo trabalhado em sala de aula e permitir que os estudantes refletissem sobre a importância dos centros de memória.

“Os alunos compreenderam que, embasados em fontes, é possível estudar uma época passada e compreender seu universo, pois cada fonte pode nos trazer informações sobre determinado período”, explicou Fernanda.

Divididos em grupos, os jovens puderam ver fotografias, documentos e objetos que compõem o acervo histórico do Colégio e, com eles, aprenderam, ainda, sobre a importância do arquivamento, manuseio e restauro correto dos mesmos.

Confira fotos da visita da turma 42.

Carnaval: festa brasileira e alemã!

Um dos pontos em comum entre a cultura brasileira e a alemã é o carnaval. Na Alemanha, a celebração daquela que é chamada a “quinta estação do ano” tem início no dia 11/11, às 11h11min, e dura até a quarta-feira de cinzas. No Colégio Cruzeiro, cuja sede é vizinha ao berço das maiores celebrações de carnaval do Brasil – o sambódromo, mas também o bairro do Estácio, onde foi criada a primeira escola de samba, a Deixa Falar, em 1928 –, essa tradição não poderia ficar de fora da programação dos alunos.

Vamos relembrar alguns dos momentos carnavalescos dos últimos anos?

Mais de 30 anos de amizade

2016-dia-do-ex-aluno-no-colegio-cruzeiro-centroUma das lições que o Colégio Cruzeiro mais tem orgulho de ensinar é a amizade. Para muitos, os laços formados nos pátios da escola e nas salas de aula nunca se perdem. É o caso da turma de Andrêa Pietroluongo. No Dia do Ex-aluno de 2016, quando celebraram 30 anos de formados, ela e seus amigos vestiram – literalmente – a camisa dessa amizade.

“Eu amo esse lugar. Sou grata a meus pais por terem me posto aqui, aos professores, ao seu Dengler – que foi o melhor diretor que podíamos ter –, e aos amigos, que tenho até hoje. Nós aprendemos a ter muito respeito uns pelos outros, mesmo quando as pessoas não pensam igual, e respeitar aos mais velhos. Isso aqui era uma grande família. Era uma extensão da nossa casa”, contou ela, que foi responsável pelo design da camisa em que se lia “Über 30 Jahre Freundschaft” (mais de 30 anos de amizade).

Entrega de flores para turma 300

Uma das tradições mais recentes no Colégio Cruzeiro – Centro é a homenagem feita pelos alunos do Maternal II para as turmas da 3ª série do Ensino Médio. Na véspera do ENEM, os pequenos entregam rosas para os estudantes que irão concluir o Ensino Médio. O ato, além de emocionar e descontrair os alunos, simboliza o fechamento do ciclo escolar.

Relembre algumas dessas homenagens com a apresentação de fotos.

Marcelo Avedissian

marcelo-avedissianNo Dia do Ex-aluno 2016 da unidade Centro, Marcelo Avedissian, da turma de 1982, doou uma de suas cadernetas de estudante para o Centro de Memória.

“O conjunto do colégio, o diretor, com certeza, o Dengler, e vários professores que tivemos ajudaram muito. Nós só percebemos isso depois de um tempo. Na época nem damos a devida importância, mas agora sabemos o quanto foi importante na educação, no aprendizado”, contou ele.

Você tem guardado cadernetas, uniformes, redações da época em que estudava no Colégio Cruzeiro? Esses documentos podem integrar o Centro de Memória!

Noite do Pijama

2005-alunos-durante-noite-do-pijama-no-colegio-cruzeiro-jacarepaguaDesde 2001, alunos do Colégio Cruzeiro – Jacarepaguá participam de uma atividade muito aguardada: a Noite do Pijama. A tradição, que remete aos acampamentos realizados durante os passeios da escola desde a década de 1970, é um momento de integração e muita descontração para os pequenos.

Hoje realizada com alunos do 3º ano do Ensino Fundamental dentro da própria escola, a atividade é, para muitos, a primeira vez dormindo fora de casa e longe dos pais. Por uma noite, as crianças acampam nas dependências da escola e participam de várias atividades de convivência como banho de piscina, discoteca, passeio noturno pela floresta da escola e churrasco.

“As experiências vividas na Noite de Pijama, com certeza, jamais serão esquecidas. Cuidar dos próprios pertences, arrumar a barraca para dormir, ficar por um período maior com os amigos e professores, além de passear pela mata, representam um marco para o desenvolvimento da autonomia e autoconfiança dos nossos alunos”, afirmou a Orientadora Lilian Guimarães.

Para encerrar esse momento marcante, no dia seguinte, o café da manhã é realizado com a participação dos familiares, que confraternizam e apoiam esses primeiros passos independentes das crianças.